Blog do Osmar Pires

Espaço de discussão sobre questões do (ou da falta do) desenvolvimento sustentável da sociedade brasileira e goiana, em particular. O foco é para abordagens embasadas no "triple bottom line" (economia, sociologia e ecologia), de maneira que se busque a multilateralidade dos aspectos envolvidos.

My Photo
Name:
Location: Goiânia, Goiás, Brazil

É doutor em Ciências Ambientais, mestre em Ecologia, bacharel em Direito, Biologia e Agronomia. É escritor, membro titular da cadeira 29 (patrono: Attílio Corrêa Lima)da Academia Goianiense de Letras (AGnL). É autor dos livros: A verdadeira história do Vaca Brava e outras não menos verídicas.Goiânia: Kelps/UCG,2008. 524 p.; Arborização Urbana & Qualidade de Vida. Goiânia: Kelps/UCG, 2007.312 p.; Perícia Ambiental e Assistência Técnica. 2. ed. Goiânia: Kelps/PUC-GO, 2010. 440 p.; Introdução aos Sistemas de Gestão Ambiental: teoria e prática. Goiânia: Kelps/UCG, 2005. 244 p.; Conversão de Multas Ambientais. Goiânia: Kelps, 2005, 150 p.; e, Uma cidade ecologicamente correta. goiânia: AB, 1996. 224 p. É coautor da obra: TOCHETTO, D. (Org.). Perícia Ambiental Criminal. 3. ed. Campinas, SP: Millennium, 2014. 520 p. Foi Secretário do Meio Ambiente de Goiânia (1993-96); Perito Ambiental do Ministério Público/GO (97-03); e, Presidente da Agência Goiana do Meio Ambiente (2003-06). Recebeu da Academia Goiana de Letras o troféu Goyazes Nelly A.de Almeida no gênero Ensaio em 2007 e da União Brasileira de Escritores/GO o troféu Tiokô de Ecologia.

Wednesday, May 04, 2016

LAVA-JATO: ESTRATÉGIA DO GOLPE PARLAMENTAR-MIDIÁTICO-JUDICIÁRIO PARA ASSALTAR O PODER E DESTRUIR DIREITOS NO BRASIL!

Osmar Pires Martins Júnior
Bacharel em Direito, Agronomia e Biologia
Doutor em Ciências Ambientais e Mestre em Ecologia pela UFG

A Operação Lava-Jato, de acordo com jornalistas investigativos, cientistas sociais, juristas e doutrinadores (Luis Nassif, Paulo Moreira Leite, Paulo Henrique Amorim, Wadih Damous, dentre outros) é uma estratégia da direita nacional que se baseia em fomentar a ideia de um "mar-de-lama" causado pelo "governo corrupto do PT".
Para combater a "corrupção do PT" desencadeou-se um processo seletivo de "Justiça": o PT criou a corrupção sistêmica no Brasil e, por isso, todos os esforços devem ser direcionados para "varrer a corrupção", investigar, acusar, julgar, condenar e prender os corruptos (do PT).
O lance decisivo da estratégia está prestes a acontecer no Senador Federal: um golpe travestido de impeachment da Presidente da República (do PT).
Os analistas nacionais e estrangeiros, como o Prêmio Nobel da Paz Pérez Esquivel, que declarou: "[...] o Golpe de Estado no Brasil assumiu uma forma inusitada de Golpe Parlamentar-Midiático-Judiciário [...]".
Parlamentar, pois é desferido por uma maioria parlamentar (PMDB-PSDB)construída pelo vice-presidente à revelia da vontade do eleitor que elegeu a Presidenta Dilma.
Midiático, pois o golpe é propagandeado dia-e-noite há anos pela mídia monopolista.
E Judiciário, pois a pauta do golpe foi tramada e urdida de dentro do Poder Judiciário, através do Alto Comando do Golpe, constituído pelo titular da PGR e por um ministro tucano no STF.
Esqueceram de mim? A denúncia de Janot - "o seletivo" - NÃO arrolou na denúncia o tri-delatado Michel Temer (PMDB-SP)
Para reforçar o golpe, o Alto Comando do Golpe fez mais um movimento nas peças do tabuleiro: o pedido de investigação da Presidenta Dilma Rousseff​ e do ex-Presidente Lula​, com base na delação-premiada do senador Delcídio do Amaral.

SÓRDIDO E COVARDE
O pedido de investigação ao STF contra Dilma e contra Lula segue um roteiro politicamente orquestrado.
O pedido da PGR foi comemorado pela mídia golpista - Partido da imprensa Golpista ou PiG, que historicamente sempre atuou contra governos populares e democráticos. Foi assim com Varga, JK, Jango. Tem sido assim com Lula e Dilma.
O porta-voz do PiG, Merval Pereira, disse em regozijo, no dia 03/05/2016, ante a notícia do pedido de investigação contra Dilma e Lula:
[...] Com isso, está desmontado o discurso do PT de que Dilma é vítima de políticos corruptos. Acabou o manto de santidade da Dilma. Ela própria agora está acusada de corrupção. Não há como negar que ela faz parte de uma organização criminosa (sic) [...] (Merval Pereira, no Jornal das Dez da GloboNews, dia 03.05.2016) 
Vê-se, pois, que a pauta do Alto Comando do Golpe Parlamentar-Midiático-Judiciário segue um cronograma meticulosamente político: o pedido de investigação junto ao STF contra Dilma e Lula visa atingir objetivo claro e determinado de golpear o mandato da Presidente, fragilizar sua defesa na Comissão de Impeachment, arrefecer o movimento social em defesa da Presidente.
Como em todos os outros movimentos, este também é marcado pela "seletividade". Veja.
Na investigação pedida pela PGR, o vice-presidente Michel Temer (PMDB-SP) NÃO foi arrolado.
No entanto, Temer também foi delatado várias vezes em casos gravíssimos de corrupção na mesma delação de Delcídio e, anteriormente, por outros delatores na Lava-Jato.
Mesmo assim, o vice Michel Temer foi esquecido pelo denunciante - Janot, o "seletivo" - e também de cobrança da mídia, como se nenhuma explicação fosse devida à sociedade.
Veja:

TEMER FOI DELATADO POR CORRUPÇÃO NA PETROBRAS
Na delação, Delcídio diz que Temer teria "apadrinhado" dois investigados na Operação Lava Jato à BR Distribuidora, subsidiária da Petrobras, e à própria estatal. Segundo o senador petista, o vice-presidente da República deu aval à indicação do lobista João Augusto Henriques para a BR em 1997 e ao nome de Jorge Zelada para a diretoria Internacional da Petrobras.
Ainda segundo o senador, como o nome de Henriques foi vetado, Zelada acabou ficando com a vaga e Temer acabou sendo seu padrinho: "Que João Augusto Rezende Henriques indicou Jorge Zelada, Que Jorge Zelada foi chancelado por Michel Temer e pela bancada do PMDB", diz a força-tarefa.

TEMER FOI DELATADO POR CORRUPÇÃO NA BR DISTRIBUIDORA
Temer também foi citado num escândalo de manipulação dos preços do etanol, numa época em que João Augusto Henriques, atualmente preso em Curitiba, ocupou uma diretoria da BR Distribuidora.
De acordo com a denúncia, entre os anos de 1997 e 2001, no governo de FHC, o lobista Henriques teria montado um esquema de corrupção em torno da compra de etanol. Indicado por Michel Temer, seria ele o principal operador do esquema. Teria obtido recursos ilícitos a partir da manipulação do preço do etanol.  Henriques foi demitido em 2001.

TEMER FOI DELATADO POR CORRUPÇÃO NA ELETRONUCLEAR
O vice-presidente Michel Temer foi também citado, dias atrás, por um outro delator: o empresário José Antunes Sobrinho, um dos donos do grupo Engevix, que mencionou a conquista de um contrato na Eletronuclear pela empresa Argeplan graças à influência do vice-presidente.

EM CONCLUSÃO
Apesar de triplamente delatado na Operação Lava-Jato, como visto acima, o vice-Presidente Michel Temer (PSDB-SP) não foi denunciado pelo Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot.
No caso concreto, confirma-se a hipótese da estratégia do Alto Comando do Golpe, de um sistema persecutório seletivo que visa alcançar, ao final, a Presidenta Dilma e o ex-Presidente Lula.
Tais dirigentes selecionados pelo titular da PGR foram acusados ao STF de promover a obstrução da justiça e de atrapalhar as investigações da Lava-Jato.
A acusação da PGR contraria frontalmente as declarações do Coordenador da Lava-Jato, delegado federal Igor Romário de Paula, que afirmou em entrevista à revista Veja, verbis:
[...] O combate à corrupção no Brasil só aconteceu graças aos governos Lula e Dilma, do PT, que deu à Polícia Federal mais autonomia para atuar, [embora] os mais atingidos pelas investigações nunca interferiram na Lava-Jato [...]   
Dessa maneira, por um lado, fica evidente a ação do titular da PGR em proteger agentes políticos envolvidos em corrupção, excluindo-os das investigações.
E, por outro lado, fica patenteada  a insistente inclusão de outros agentes políticos, denotando o evidente caráter seletivo dos que conduzem a Operação Lava-Jato.
O objetivo é golpear a Presidenta Dilma, arrancá-la á força do Poder, ao mesmo tempo que se busca a desmoralização de Lula, sua inviabilização eleitoral, para exterminar da vida política nacional as forças progressistas e populares.
A estratégia é a implementação de um programa de governo golpista que retira direitos trabalhistas e sociais e que promova a entrega do patrimônio nacional aos interesses do capitalismo financeiro internacional.

0 Comments:

Post a Comment

<< Home