Blog do Osmar Pires

Espaço de discussão sobre questões do (ou da falta do) desenvolvimento sustentável da sociedade brasileira e goiana, em particular. O foco é para abordagens embasadas no "triple bottom line" (economia, sociologia e ecologia), de maneira que se busque a multilateralidade dos aspectos envolvidos.

My Photo
Name:
Location: Goiânia, Goiás, Brazil

É doutor em Ciências Ambientais, mestre em Ecologia, bacharel em Direito, Biologia e Agronomia. É escritor, membro titular da cadeira 29 (patrono: Attílio Corrêa Lima)da Academia Goianiense de Letras (AGnL). É autor dos livros: A verdadeira história do Vaca Brava e outras não menos verídicas.Goiânia: Kelps/UCG,2008. 524 p.; Arborização Urbana & Qualidade de Vida. Goiânia: Kelps/UCG, 2007.312 p.; Perícia Ambiental e Assistência Técnica. 2. ed. Goiânia: Kelps/PUC-GO, 2010. 440 p.; Introdução aos Sistemas de Gestão Ambiental: teoria e prática. Goiânia: Kelps/UCG, 2005. 244 p.; Conversão de Multas Ambientais. Goiânia: Kelps, 2005, 150 p.; e, Uma cidade ecologicamente correta. goiânia: AB, 1996. 224 p. É coautor da obra: TOCHETTO, D. (Org.). Perícia Ambiental Criminal. 3. ed. Campinas, SP: Millennium, 2014. 520 p. Foi Secretário do Meio Ambiente de Goiânia (1993-96); Perito Ambiental do Ministério Público/GO (97-03); e, Presidente da Agência Goiana do Meio Ambiente (2003-06). Recebeu da Academia Goiana de Letras o troféu Goyazes Nelly A.de Almeida no gênero Ensaio em 2007 e da União Brasileira de Escritores/GO o troféu Tiokô de Ecologia.

Wednesday, October 17, 2018

RESIST

Osmar Pires Martins Junior - D.Sc. M.Sc., B.Sc.
O cantor, compositor e baixista Roger Waters, líder criador da banda britânica de rock progressivo Pink Floyd, na turnê mundial Us+Them 2018, realizou apresentações nas cidades de São Paulo (9 e 10), Brasília (13), Salvador (17), Belo Horizonte (21), Rio de Janeiro (24), Curitiba (27) e de Porto Alegre (30 de outubro).

Eu, minha esposa Josete Bringel e nossos filhos Ludmila Bringel e Gustavo Bringel, meus irmãos Eliomar Pires Martins, Delcimar Pires e Dilmar Santos Pires Martins, o futuro genro Luís Augusto Pacheco de Araújo, as cunhadas Maria Cristina Alcântara Pires e Cidinha Matos e os sobrinhos Caio Alcântara, Isadora Matos Martins e Mateus Matos, formamos uma turma com os amigos brasilienses e fomos ao Mega-Show no Estádio Mané Garrincha, dia 13 de outubro.

INESQUECÍVEL
Ficamos na Cadeira Superior, preço mais em conta, melhor relação custo/benefício, confortável e visibilidade total do palco e da platéia. Captamos todas as virtuosidades da apresentação do artista e sua banda; os efeitos visuais, luzes, audiovisual, mensagens gráficas e reações às mensagens políticas revolucionárias da apresentação.

A originalidade e a criatividade de Roger Waters e sua banda permanecem atuais, vibrantes, emocionantes e mobilizadoras. Não se ouve ou assiste Roger Waters à toa. O artista, sua personalidade, sua vida e sua atuação estão acima de todos os interesses que marcam um complexo mercado musical.

TRAJETÓRIA ESPETACULAR, INCOMPARÁVEL
Na turnê 2018, Roger Waters alerta para a onda do Neofascismo no Mundo, denuncia Bolsonaro no Brasil e conclama #EleNão. A trajetória deste artsta é espetacular. O seu pai e seu avô foram oficiais britanicos mortos em combate. A insatisfação, a angústia e o sofrimento causados pelas guerras são uma presença constante nas suas composições e atuação musical.


Ao denunciar o neofascismo, Roger Waters não o faz por oportunismo. Ele foi o primeiro grande astro mundial a promover uma ópera rock "The Wall" denunciando o imperialismo americano e soviético-revisionista! Quando o Muro foi posto abaixo, realizou em Berlim um show ao vivo de comemoração à liberdade. Roger Waters é uma personalidade viva do nosso tempo, um poeta libertário e um menestrel pregoeiro das almas livres!

MOA DO CATENDE
Na apresentação de Salvador/BA, dia 17, Roger fez uma homenagem ao mestre de capoeira Moa do Catendê que, simplesmente por declarar seu voto em #Haddad13foi assassinado traiçoeiramente com 17 facadas, pelas costas, por um miliciano do candidato fascista #BOL卐ONARO #B17.

No show soteropolitano, Roger Waters levou o público às lágrimas e foi ovacionado quando projetou a imagem do mestre de capoeira e o homenageou com seguintes as palavras:
“Ele foi um grande exemplo para todos nós, espalhando amor e humanidade”. 

PERSPICÁCIA
Na apresentação em São Paulo, Roger Waters conclamou o público a reagir contra o ressurgimento do fascismo em todo o mundo, relacionando entre as principais ameaças o candidato Bolsonaro, para, em seguida, projetar o efeito luminoso com os dizeres #EleNão. Entre muitos aplausos e algumas vaias, o artista disse:
"Eu sei que, dentro de algumas semanas, vocês elegerão o próximo presidente. Alguns poderiam dizer que esse assunto não é da minha conta, a não ser que, em geral, eu sou contra o ressurgimento do fascismo em todo o mundo. É uma idéia horrível admitir o retorno, na América Latina, à época tenebrosa dos ditadores que caçavam os opositores democratas. Como crente nos direitos humanos - e isso inclui o direito de protestar pacificamente dentro da lei - eu prefiro não viver sob o comando de alguém que acredita que a ditadura militar é uma coisa boa".
REAÇÃO DE UM PAÍS DIVIDIDO
Mesmo que seja uma parcela minoritária, é estarrecedor que, entre os fás de Pink Floyd existam pessoas iludidas pelo velho e surrado canto de sereia fascista, carregado de conteúdos de ódio, preconceito e discriminação. No Brasil, há um candidato neo-fascista que destila tais venendos em suas propostas e idéias. Roger Waters demonstrou sua enorme habilidade e sensibilidade artística, de profundo respeito ao seu público e às idéias que defende.

PONTO DE VISTA CENSURADO
Na apresentação em Brasília, a relação dos políticos que representam uma ameaça à democracia foi apresentada, tal como no show anterior, mas no trecho onde se lia "Brasil - Bolsonaro", apareceu "Ponto de vista censurado".

Os telões centraram fogo nos "Porcos que governam o Mundo", destacando o mais gordo deles, o porco Trump. Conclamou o público a se unir contra a tirania, o totalitarismo, a exploração dos povos, o imperialismo, a poluição e o desmatamento, dentre outras mazelas reinantes em todo o mundo.

Um balão representando um grande porco gordo flutuou sobre a cabeça do público, com os dizeres: "Seja humano"!

ANIMALS
Nesta parte do show é apresentada uma síntese do clássico álbum "Animals", uma obra-prima de Roger Waters, de 1977. Abaixo, transcrevo minhas impressões do show com base na análise do álbum, feita por Victor Freire, em Rock'N'Prosa .

A trama de Animals nos faz lembrar A Revolta dos Bichos, de George Orwell, contra os humanos, na qual os porcos assumem o comando e passam a atuar perante os outros bichos de acordo com máxima "o poder corrompe todos", tal como na sociedade humana.

Nesta parte do show, a sociedade está dividida em animais, cada animal representa uma fonte de dominação dos donos do poder em relação ao resto da população, subjugada e explorada, mas, paradoxalmente, submissa e serviçal aos interesses dominantes.

SOCIEDADE EGOÍSTA E INDIVIDUALISTA
A música Pigs on the Wing apresenta a temática do positivismo da união entre as pessoas, com a seguinte mensagem inicial (tradução livre):
“Se você não se importa com o que acontece comigo e eu não me importo com o que acontece com você, viveremos percorrendo o caminho do aborrecimento e da dor, observando os porcos voando”.
O mensagem da música é clara: se duas pessoas se amam, elas podem vencer as barreiras e o controle imposto pelos “animais”. Somos compelidos a refletir sobre o individualismo e o egoismo das pessoas que seguem seus caminhos sem se preocupar com os outros, contribuindo para a manipulação, o domínio e a exploração das massas ou ovelhas pelos porcos capitalistas.

DOGS
A épica música Dogs representa os empresários que movidos pela ambição de ter uma carreira bem sucedida, causam a destruição de tudo e de todos, inclusive deles mesmos.

As maiores vítimas dos “cachorros” da sociedade baseada na exploração do homem pelo homem são os mais fracos, paradoxalmente, os "amigos", aqueles que mais lhes dedicam confiança.

Mas a música, ao final de tudo, nos diz que os "cachorros", depois de tudo, se recolhem e morrem solitários, porque destruíram todos os seus “amigos”.

SHEEPS
As “ovelhas” são aquelas pessoas dominadas culturalmente pelas mídias que se encontram em poder dos “cachorros” e “porcos”.

No Brasil, tais mídias, monopolizadas nas mãos de cinco famílias a serviço da oligarquia financeira, formam o PiG - Partido da imprensa Golpista. O PiG é um fomentador de golpes: em 1950, contra Vargas; em 1960, contra JK; em 1964, contra Jango; em 2016, contra Dilma.

A grande mídia no Brasil manipulou e conduziu os manifestoches como "ovelhas verde-e-amarelas" ou "patos da Fiesp" para dar o golpe numa presidenta eleita por 52 milhões de votos e colocar no seu lugar uma quadrilha de corruptos - Temer, Cunha, Aécio et cateva, todos aliados do fascista tupiniquim.

CADEIA DE DOMINAÇÃO
Na música Pigs, os “porcos” estão no topo da sociedade, representando as pessoas mais ricas.

Os ricaços exercem influência sobre o resto da sociedade, alimentando as competições internas, as divisões e os conflitos entre os explorados como estratégia de manutenção do poder e da concentração da riqueza.

A cadeia de dominação e exploração do homem pelo homem fica bem estabelecida na peça "Animals": os Pigs dominam os Dogs que subjugam e exploram Sheeps.

O show explora a ideia de que a população mundial é dominada pelas grandes mídias. Observe o encerramento da música:
“Já sabem da novidade? Os cachorros morreram. O que farão as ovelhas? Quem elas vão seguir? Por quem serão manipuladas?"


A GRANDE LIÇÃO
Na segunda parte de Pigs on the Wing, o autor se confessa como um “cachorro” dizendo que, mesmo sendo um “cachorro" necessita de abrigo. Para poder sobreviver no mundo, todos “precisam de um abrigo contra os porcos voando”.

A mensagem de Roger Waters nos faz pensar que, apesar de todos os defeitos do ser humano, ainda existe esperança para construir um mundo melhor, mais solidário, menos desigual, livre da exploração capitalista.

RESISTÊNCIA & DEMOCRACIA
O show Us+Them enfatiza as mensagens dos álbuns The Pros and Cons of Hitch Hiking, The Wall e The Dark Side of the Moon.

Uma peça de ópera rock, aberta por dezenas de crianças de instituições de cada cidade onde o show se apresenta. Em Brasília, as crianças entraram no palco ao som de Another Brick in the Wall, vestidos de macacões de trabalhadores.

Roger coloca uma máscara de porco no rosto e marcha à frente das crianças que dançam e pulam de alegria, depois que elas tiraram os macacões e mostrando as camisetas com os dizeres Resist & Democracy, para o delírio de todos nós, verdadeiros fãns do Pink Floyd, de Waters e da liberdade.

A lição é contundente: a humanidade não precisa de mais uma pedra no muro; temos que impedir o ressurgimento do fascismo no mundo e no Brasil (censurado)!

DITADOR PINK E SUA MÃE
Neste ponto do show, o artista retoma o discurso feito nas apresentações de São Paulo:
"Eu verifiquei que as pessoas estavam brigando entre si. Nós temos que nos unir para enfrentar e derrotar os nossos poderosos inimigos. Por isso, quero relembrar o encontro que tive com minha mãe algum tempo atrás".
Os telões apresentam mensagens de uma criança traumatizada, fraca, superprotegida pela mãe, que cresce ressentida, em conflitos permanentes de uma personalidade marcada pelo autoritarismo, que eclode cada vez mais forte a cada fracasso pessoal, como flagrar a traição da esposa com um oficial do Exército Britânico.

Num certo momento, num dos bares da vida, tal como Hitler, na Cervejaria de Munique, na Bavária, Pink encontra o seu nicho autoritário entre os trabalhadores bêbados e desempregados, explode como líder de uma ceita violenta contra tudo e todos, alcança o poder e estabelece o regime do terror contra tudo e todos, menos os seus protegidos, arianos de uma raça superior.

A população resiste ao crescimento do terror e, aos poucos, demole o muro, pedra por pedra, restabelecendo a democracia. O povo, traumatizado pela longa experiência de horror, se mantém vigilante contra o ressurgimento de novos fascistas (We don't need another brick in the wall).

Neste momento, para o êxtase dos democratas que lotaram o Mané Garrincha, os faróis luminosos explodem a mensagem, em letras garrafais: "(FACISMO) NEM FODENDO"!
.

EL GRAN FINALE
O grande fianal do show, emoldurado pela última imagem do telão de led, se constata a resiliência do Mundo e da vida, mesmo ameaçados pela hecatombe nuclear apregoada pelos fascistas.A mulher que estava sozinha, no início do show, sobrevivente de uma explosão que parecia destruir tudo e a todos, de mãos dadas com a filha, caminham juntas pelo mundo livre reconstruído.

O show da turnê Us+Them 2018, sem dúvida, agrada a todos os verdadeiros fãs de Roger Waters. Graças ao posicionamento político, corajoso e coerente, do líder do Pink Floyd, contra o ressurgimento do fascismo em todo o mundo, o rock volta às origens e expulsa para sua gruta, puto de raiva, muito burgês fdp!


"PINK BOLSOMINION"
É verdade que alguns fãs tupiniquins do Pink Floyd e Roger Waters ficaram  desiludidos ou decepcionados e ensaiaram algumas vaias nas apresentações da turnê brasileira.

A imprensa noticiou que um fã paulistano, revoltado, tendo pago R$ 800,00 por um lugar privilegiado na pista, abandou o show, durante a apresentação, para fazer um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia "por intromissão indevida do cantor em assuntos internos do Brasil".

Há ainda os que manifestaram nas redes sociais opiniões estapafúrdias como: 
"Você está enganado, Roger Waters. Na verdade, as músicas do Pink Floyd denunciam o totalitarismo de esquerda, como os governos comunistas do PT no Brasil (sic)".
Aos revoltados, esqueçam, procurem o samba de roda! Aos que, enganados pela propaganda do capital monopolista de Wall Street e ficaram desiludidos ou decepcionados, recomenda-se a lição de casa: estude a história do ditador Pink na ópera rock The Wall. Ouça o disco e veja o filme.

FRENTE DEMOCRÁTICA
A história ensina que a ameaça do nazifascismo pode ser afastada pela formação de uma Frente Democrática, que una os partidos democráticos, as personalidades conscientes na defesa dos valores democráticos e as entidades culturais e sindicais na defesa da liberdade, da constituição, dos direitos e garantias fundamentais.

A Frente Democrática do PT-PCdoB-PROS-PSB-PSOL-PSTU-PDT-7CENTRAIS SINDICAIS com #Haddad13 constitui instrumento de luta para derrotar o ressurgimento do fascismo no Brasil. Todos à luta. Nem um dia de descanso para conseguir votos a favor da democracia para derrotat o totalitarismo.

CORRUPTO, LOUCO, VINGATIVO E INSANO
As manifestações progressistas do líder criador do rock progressivo não surpreendem os verdaeiros fãs do Pink Floyd, mas certamente desagradam os midiotizados coxinhas. À Folha de São Paulo, Roger Waters afirmou que Bolsonaro está na política há 30 anos, é corrupto, louco, vingatico e insano e que é preciso lutar contra o ressurgimento do fascismo no Brasil e em todo o mundo.

NO RIO, HOMENAGEM À MARIELLE
Na apresentação realizada no Rio de Janeiro, dia 24/08, o astro fez uma homenagem à família de Marielle Franco, assassinado por milicianos alinhados ao candidato fascista Bolsonaro.

Até hoje, meses após o assassinado da vereadora negra, favelada que luta pelo direito dos pobres favelados, os criminosos não foram sequer indentificados, permanecendo impunes, com a proteção dos fascistas ligados ao Bolsonaro que, inclusive, do alto do palanque do candidato Witzel do PSL, quebraram a placa do nome de uma rua no Rio que fazia homenagem à Marielle.

EM CURITIBA, DITADURA MP
O ressurgimento do fascismo no Brasil está associado ao golpe parlamentar-midiático-judiciário, de abril de 2016, que destituiu a Presidente da República sem crime de responsabilidade e colocou no seu lugar a Organização Criminosa chefiada por Temer-Aécio-Cunha-Bolsonaro.
O golpe na democracia abriu as portas do inferno que lá saiu todos de monstro, sendo o mais horroso deles o candidato fascista. A onda fascista, desde o golpe, às atrocidades da campanha eleitoral fascista, conta com a omissão ou comissão do Poder Judiciário.
As operações de invasão de 30 Campi Universitários, violentando a Autonomia Universitária, para apreender material, interromper aulas ao ar livre sobre o fascismo, apreender faixas do tipo "Faculdade de Direito UFF antifascista" ou "- Armas +Livros", representam o prenúncio de uma ditadura fascista anunciada.

Coroando o recrudescimento do ataque fascista à democracia, o juiz eleitoral Douglas Marcel Peres, do TRE/PR, ameaçou com multa e prisão o ex-integrante da banda inglesa de rock Pink Floyd Roger Waters se fizer qualquer manifestação contra o candidato fascista Bolsonaro #B17durante o show de sábado (27/10/2018), em Curitiba/PR, onde o ex-presidente Lula está preso injustamente.

Veja no vídeo, a resposta fantástica do cantor, ícone da democracia antifascista em todo o mundo:
"Temos 30 s. É nossa última chance de reagir ao fascismo antes de Domingo. Ele Não. São 10:00"
  

0 Comments:

Post a Comment

<< Home